quinta-feira, 3 de junho de 2010

Candidatos: Eslováquia



● Grupo: F
● Continente: Europa
● Forma de qualificação: Campeão do Grupo 3 europeu.
Ranking: 33
● Participações na Copa do Mundo: 1 (2010).
● Melhor jogador: Szilárd Németh (de sempre), Robert Vittek (atual)
Esporte preferido do país: Futebol e hóquei no gelo são os mais populares. 
● Chance de passar da primeira fase: 40%
● Chance de chegar às quartas: 20%
● Chance de chegar às semifinais: 10%
● Chance de chegar a final: 5%
● Chance de ser campeão: 2%

Outra seleção estreante desta Copa, a Eslováquia é um adversário desconhecido pela maioria dos brasileiros. Como ainda não participou de nenhuma competição relevante e não possui jogadores em grandes times europeus, a Eslováquia vai à Africa com um time que deve render surpresas aos seus adversários. Para isto, terá que usar os primeiros jogos da Copa, para definir o seu destino na Copa do Mundo.


Qualificação

A Eslováquia foi a principal surpresa das eliminatórias europeias. No Grupo 3, liderou com responsabilidade a maior parte da disputa, e terminou tranquilamente à frente da Eslovênia, mesmo com alguns tropeços. Em seu caminho, deixou para trás República Tcheca, Irlanda do Norte, Polônia e San Marino, e de quebra ainda levou a artilharia do grupo, com Stanislav Šesták, que empatou com o polaco Euzebiusz Smolarek, ambos com 6 gols.

A Grande Competição

Antigamente, Eslováquia e República Tcheca formavam uma única nação: a Tchecoslováquia. Em Copas do mundo, a Tchecoslováquia conseguiu dois vice-campeonatos. O primeiro foi em 1934. Nas eliminatórias, precisou apenas derrotar a Polônia para ir à Copa de 1934. Na fase final na Itália, a Tchecoslováquia começou perdendo para a Romênia, mas conseguiu reverter o resultado no segundo tempo. Na segunda fase, fez uma partida emocionante contra a Suíça, e conseguiu bater os helvéticos por 3 a 2. Nas semifinais, conseguiram tirar a até desconhecida Alemanha, com três gols de Nejedlý, mas a sorte acabava na final. Depois de sair na frente, a Tchecoslováquia permitiu a virada italiana, tirando a taça Jules Rimet da mão dos tchecoslovacos. A segunda chance veio em 1962, no Chile. Na fase de grupos, começou derrotando a Espanha, e arrancou um empate do Brasil de Garrincha e Pelé, mas perdeu a terceira partida contra o México, mas nada que tirasse a vaga. Na fase mata-mata, conseguiu vitórias surpreendentes contra a Hungria e a Iugoslávia. Na final, reencontraram novamente os brasileiros, e começaram vencendo, com um gol de Masopust, mas uma virada dos brasileiros teve início, com gols de Amarildo, Zito e Vavá, que deram o segundo título para os brasileiros.


Time

O time eslovaco é formado por jogadores que atuam no leste europeu, com exceção de alguns que atuam na Liga Nacional e na Bundesliga alemã, além dos campeonatos Inglês, Francês e Italiano.

Goleiros: Ján Mucha, Dušan Perniš, Dušan Kuciak;


Defesa: Martin Petráš, Martin Škrtel, Marek Čech, Radoslav Zabavník, Ján Ďurica, Kornel Saláta, Peter Pekarík;


Meio-campo: Zdeno Štrba, Vladimír Weiss, Ján Kozák, Marek Sapara, Miroslav Stoch, Marek Hamšík, Juraj Kucka, Kamil Kopúnek;

Atacantes: Stanislav Šesták, Róbert Vittek, Filip Hološko, Martin Jakubko e Erik Jendrišek.

Nenhum comentário:

Postar um comentário