terça-feira, 15 de novembro de 2011

Por que o cofrinho é simbolizado por um porco?


Num lugarejo chamado Pigger, na Inglaterra da Idade Média, havia uma argila cerâmica da qual as pessoas faziam suas vasilhas de uso doméstico, como jarros e potes.

Com a “popularização” da moeda em metal, essas ganharam um pote de barro como recipiente doméstico, um ancestral do cofre.

Da mistura, “argila”, “cofre”, “Pigger”, e daquelas provaveis confusões (espingarda de caçar rolinhas com espinafre de caçarolinha) algum oleiro talvez tenha feito esse cofrinho no formato de porco: “pig” em inglês.

Outra, diz que a invenção de usar o porquinho como cofre (designado vulgarmente como porquinho-mealheiro) é atribuída ao engenheiro francês Sebastian la Pestre, do século XVII.

Por esta versão, Pestre teria calculado que em dez anos uma porca pode produzir seis milhões de filhotes e concluiu que este animal representaria bem a idéia de economizar. O dinheiro é de natureza profícua, procriativa.

Pelo raciocínio de Pestre, a simbologia do “cofre de porquinho”, assim surge: quem mata uma porca prenhe destrói toda uma prole até a milésima geração.

Uma outra, diz que no século XVIII, as pessoas guardavam moedas em potes feitos com uma argila chamada pygg. Certa vez, um ceramista não muito familiarizado com o assunto recebeu uma encomenda de algumas peças deste material e imaginou que o cliente queria compartimentos com aparência de pig (porco, em inglês).

Por uma dessas formas, nasceram os cofres em forma de porquinhos, hoje tradicionais em todo o mundo.



Yahoo respostas

Nenhum comentário:

Postar um comentário