segunda-feira, 5 de outubro de 2009

O Pinguim




 O pinguim é uma ave da família Spheniscidae, não voadora, característica do hemisfério Sul, em especial na Antártida e ilhas dos mares austrais, chegado à Terra do Fogo, Ilhas Malvinas e África do Sul, entre outros. Apesar da maior diversidade de pingüins se encontrar na Antártida e regiões polares, há também espécies que vivem nos trópicos como por exemplo nas Ilhas Galápagos. A morfologia dos pingüins reflete várias adaptações à vida no meio aquático: o corpo é fusiforme; as asas atrofiadas desempenham a função de barbatanas e as penas são impermeabilizadas através da secreção de óleos. Os pingüins alimentam-se de pequenos peixes, krill e outras formas de vida marinha, sendo por sua vez vítimas da predação de orcas e focas-leopardo.

Os primeiros pinguins apareceram no registo geológico do Eocênico.
O pingüim é uma ave marinha e excelente nadadora. Chega a nadar com uma velocidade de até 45 km/h e passa a maior parte do tempo na água.
Como membros da família Spheniscidae, os pinguins pertencem à ordem Ciconiiformes. Em sistemas classificativos anteriores, o grupo era considerado como ordem separada (Sphenisciformes).
Pinguins são muito adaptados a vida marinha, as asas vestigiais são inúteis para vôo no ar, na água são muito ágeis. Na terra os pinguins usam as caudas e asas para manter o equilíbrio na postura ereta.
Todos os pinguins possuem uma coloração por contraste para camuflagem (vistos ventralmente a cor branca confunde-se com a superfície refletiva da água, visto dorsalmente a plumagem preta os torna menos visíveis na água).
Possuem uma camada isolante que ajudam a conservar o calor corporal na água gelada antártica. O Pinguim-imperador possui a maior massa corporal de todos os pinguins, o que reduz ainda mais a área relativa e a perda de calor. Eles também são capazes de controlar o fluxo de sangue para as extremidades, reduzindo a quantidade de sangue que esfria mas evitando as extremidades de congelar. Eles frequentemente agrupam-se para conservar o calor e fazem rotação de posições para que cada pingüim disponha de um tempo no centro do bolsão de calor.
Eles podem ingerir água salgada porque as glândulas supraorbitais filtram o excesso de sal da corrente sanguínea. O sal é excretado em um fluido concentrado pelas passagens nasais.

Alimentação

 A dieta dos pingüins dos géneros Aptenodytes, Megadyptes, Eudyptula e Spheniscus consiste principalmente em peixes. O gênero Pygoscelis fundamentalmente de plâncton. A dieta do gênero Eudyptes é pouco conhecido, mas acredita-se que muitas espécias alimentam-se de plâncton. Em todos os casos a dieta é complementada com cefalópodes e plâncton.

Reprodução


Há espécies de pinguins cujos pares reprodutores acasalam para toda a vida enquanto que outros fazem-no apenas durante uma época de reprodução. Normalmente, os progenitores cooperam nos cuidados com os ovos e com os juvenis. A forma do ninho varia, segundo a espécie de pingüim: alguns cavam uma pequena fossa, outros constroem o ninho com pedras e outros utilizam uma dobra de pele que possuem ventralmente para cobrir o ovo. Normalmente, o macho fica com o ovo e o mantém quente, e a fêmea dirige-se para o mar com vista a encontrar alimento. Quando no seu regresso, o filhote terá alimento e então os papéis invertem-se: a fêmea fica em terra e o macho vai à procura de alimento.






Espécies

Gênero Aptenodytes

Pinguim-imperador (Aptenodytes forsteri)



Pinguim-rei (Aptenodytes patagonicus)



Pinguim-de-ridgen (Aptenodytes ridgeni) (fóssil)


Gênero Pygoscelis

Pinguim-de-adélia (Pygoscelis adeliae)




Pinguim-gentoo (Pygoscelis papua)




Pinguim-de-barbicha (Pygoscelis antarctica)




Gênero Eudyptes

Pinguim-saltador-da-rocha (Eudyptes chrysocome)




Pinguim-macaroni (Eudyptes chrysolophus)




Pinguim-das-snares (Eudyptes robustus)




Pinguim-de-fiordland (Eudyptes pachyrhynchus)




Pinguim-real (Eudyptes schlegeli)




Eudyptes sclateri




Gênero Spheniscus

Pinguim-de-magalhães (Spheniscus magellanicus)



Pinguim-das-galápagos (Spheniscus mendiculus)




Pinguim-de-humboldt (Spheniscus humboldti)



Pinguim-africano (Spheniscus demersus)




Gênero Eudyptula

Pinguim-azul (Eudyptula minor)




Pinguim-azul-do-norte (Eudyptula albosignata)


Pinguim-de-barbatanas-brancas(Eudyptula albosignata albosignata?)





Pinguim-do-rosário(Eudyptula carlus salvadorentus nethus)


Gênero Megadyptes

Pinguim-de-olho-amarelo (Megadyptes antipodes)




Pinguim-waitaha (Megadyptes waitaha) (Extinto)

Gêneros extintos

Anthropodyptes


Archaeospheniscus


Chubutodyptes


Pachydyptes


Palaeeudyptes


Palaeospheniscus


Paraptenodytes


Pseudaptenodytes

Pinguins na Televisão


Há muitas séries consagradas na TV onde pinguins são protagonistas. Entre as séries, podemos destacar o "Pinguins de Madagascar" e "Pingu". Em ambas as séries, os pinguins são animais inteligentes mas pouco espertos, o que lhe rendem aventuras onde quase sempre tentam resolver problemas e escapar de esrascadas.


Pinguins como mascotes
 

No mundo comercial e esportivo, os pinguins são usados como mascotes para várias marcas. Entre as empresas, estão a Cerveja Antártica e Linux, além de compor o nome de um time de hockey no gelo, o Pittsburgh Penguins, campeão da NHL da temporada 2008/09.

Quer ver mais animais? Clique Aqui
Fonte: Wikipédia

Nenhum comentário:

Postar um comentário