terça-feira, 8 de setembro de 2009

Futebol

 Atendendo a solicitações e na falta de um tópico sobre esportes, vou discutir sobre um esporte que o Brasil adora, mas que foi inventado pelos ingleses. Sobre um esporte praticado por crianças de 4 anos até veteranos de 50. O esporte será futebol.
 É o esporte mais praticado no mundo, seguido do Rugby (pouco conhecido no Brasil). Com algumas variações, já era jogado na Idade Média, quando não continha regras, o que resultava em jogos violentos, alguma vazes com mortes. Isso levou o Rei Eduardo a proibir o esporte no Reino Unido, por não considerar um jogo cristão.
 Apesar de proibido, o futebol nunca deixou de ser praticado no Reino Unido, no Século 18 através das escolas o esporte ressurge em uma forma mais organizada, as primeiras regras oficiais e os primeiros campos exclusivos para a prática do esporte são criados. Apesar disso muitas escolas utilizavam regras próprias que se diferenciavam uma das outras até que houve um consenso entre algumas escolas que formaram as Regras de Cambridge, que foi a primeira formalização mais geral do futebol.
 Em 26 de outubro de 1863 em uma reunião entre os representantes de 21 clubes na Great Queen Street, em Londres na Inglaterra é criado a Football Association implantando regras ao futebol baseadas principalmente nas regras da Universidade de Cambridge e com algumas influências das regras utilizadas pelos times do norte da Inglaterra as chamadas Regras de Sheffield. O principal idealista da criação da Football Association foi Ebenezer Cobb Morley, o qual foi presidente da entidade entre 1867 a 1874.
 A primeira revisão das regras do jogo foi feita em uma série de 6 encontros. Ao final da série de encontros Francis Maude Campbell o primeiro tesoureiro da FA e representante do clube Blackheath retirou-se da federação após a retirada de 2 regras do esporte (uma tiraria a possibilidade de utilizar as mãos e a outra tiraria a possibilidade de derrubar o jogador que portasse a bola com as mãos), outros clubes futuramente passariam a seguir o Blackheath que depois fundaram a Rugby Football Union, a primeira entidade controladora do rugby no mundo. Devido a uma grande quantidade de mudanças nas regras o futebol e o rugby se distanciaram e passaram a ser dois esportes distintos.
 A primeira partida internacional de futebol foi entre as seleções Inglesa e Escocesa no Hamilton Park, em Glasgow na Escócia, o placar final foi de 0-0. No ano seguinte a Inglaterra venceria a Escócia por 4-2.


Criação da FIFA
 O futebol já estava começando a ser praticado em países da Europa fora da Grã-Bretanha e esses países sentiram a necessidade de criar uma organização reguladora do esporte, inicialmente a Grã-Bretanha foi contra, pois não aceitava outra entidade reguladora do esporte que não fosse a Football Association. Em 1904 numa união entre as associações de futebol da França, Bélgica, Dinamarca, Holanda, Espanha, Suécia e Suíça em Paris era criada a Fédération Internationale de Football Association (em português, Federação Internacional de Futebol Association. Football Association em francês ou Association Football em inglês é um termo traduzido em português simplesmente como o futebol comum) . Ao longo do tempo a FIFA começou a expandir a sua influência pelo mundo, em 1909 a África do Sul se tornou a primeira nação não européia a se juntar a FIFA, Argentina e Chile entraram em 1912, e Estados Unidos e Canadá entraram em 1913.

Esquemas táticos

 O goleiro é quem protege o gol. É o único jogador que pode usar as mãos, e mesmo assim só pode usá-las dentro da área de e tem o tempo de 6 segundos para recolocá-la em jogo. A sua função é impedir que a bola passe pelas traves do gol.

 Os zagueiros têm a função de ajudar o goleiro a proteger o gol, tentando desarmar os atacantes adversários.
 Os laterais ocupam as laterais do campo. Também ajudam o goleiro a proteger o gol e normalmente são os responsáveis de repor a bola em jogo quando esta sai pelas linhas laterais do campo.
 Os médios, meias, meio campistas têm basicamente a função de fazer a ligação entre a defesa e o ataque da equipe, atuando tanto na marcação como nas jogadas ofensivas.
 O avançado ou atacante tem a função fundamental de fazer o gol logo estão normalmente no campo adversário.

As posições definem a área do campo de atuação de um jogador, mas não o prendem a ela. Jogadores podem trocar de posições, sendo isso bem freqüente. Os goleiros têm uma mobilidade menos versátil por sua função, mas também podem participar de cobranças de faltas e escanteios.
 O número de jogadores em cada posição define o esquema tático do time, sendo os mais comuns na atualidade o 4-4-2, o 3-5-2 e o 4-5-1. A seleção italiana, no entanto, foi campeã da Copa do Mundo Fifa 2006 utilizando o esquema tático 4-4-1-1. Os números indicam a ordem sequencial de jogadores nas posições: o 4-4-1-1, por exemplo, significa que a Itália jogava com 4 jogadores mais defensivos( incluindo defesas centrais e laterais, que podem ser mais ofensivos, sendo chamados no Brasil de alas), 4 médios, 1 medio ofensivo e 1 avançado ou ponta-de-lança.

As regras

 Existem no total dezessete regras para o futebol. Elas são estabelecidas pela International Board, e só podem ser alteradas pela mesma.

 Cada equipe é composta de 11 jogadores (excluindo os reservas que são em número variável, no qual um deve ser o goleiro, porém, só podem ocorrer três substituições). O mínimo de jogadores permitido numa partida em andamento é de sete jogadores. Se uma equipe ultrapassar esse número (por expulsão ou impossibilidade de troca) o jogo é terminado com o placar com que foi finalizado.
 O equipamento básico necessário são calções, uma camisa, meiões, um calçado (chuteira) e uma caneleira.
 Os jogadores são proibidos de usarem qualquer objeto que possa machucar outros jogadores, como jóias e relógios.
 Um certo número de substituições pode ser feita durante o jogo. Em competições oficiais são permitidas no máximo três substituições. O número, entretanto, pode variar, sendo isso normalmente em amistosos. O jogador substituído não pode voltar ao campo em uma mesma partida.


Árbitro

 A partida é controlada por um árbitro, que terá "autoridade total para fazer cumprir as regras de jogo", sendo que "suas decisões sobre os fatos do jogo são definitivas".
 O árbitro é auxiliado por dois assistentes (bandeirinhas), que ficam nas linhas laterais do campo ajudando na marcação de faltas e impedimentos. Na maioria dos jogos oficiais há também um quarto árbitro, no caso de precisar substituir o árbitro que controla a partida.

O campo


 O comprimento do campo de jogo numa partida oficial deve ser desde 100x64 até 120x90 metros para partidas internacionais considera-se a medida de 105x68 metros.

 As duas linhas de marcação denominam-se linhas laterais. As duas mais curtas são as linhas de meta. A bola, ao sair das linhas laterais, deve ser recolocada em jogo pelas mãos. Já nas linhas de metas há duas possibilidades: se o último toque na bola antes de sair foi feito pelo time defensor, será dado o escanteio (que é batido com os pés, nos cantos do campo) para o time atacante. Do contrário a bola é do goleiro do time defensor (tiro de meta).
 O gol deve ter 7,32m de uma trave a outra e a distância entre o travessão (a trave superior) e o chão deve ser de 2,44m. As redes não são obrigatórias, apesar serem utilizadas em todos os torneios; elas só podem ser colocadas se estiverem presas de forma que não atrapalhe o goleiro.
 Na frente de cada gol há a área penal (a grande área), que consiste em duas linhas perpendiculares à linha de meta, a 16,5m de cada poste. Essas linhas se unem com uma linha de 40,3m paralela à linha de meta. Toda essa área delimitada é a área penal.
 Em cada área penal a 11m do ponto médio entre as traves há o ponto penal, onde a bola é colocada no caso de um pênalti.

Duração


 As partidas oficiais são compostas de dois tempos iguais de 45 (quarenta e cinco) minutos cada um. Entre esses tempos há um intervalo, que não poderá exceder 15 (quinze) minutos. O árbitro da partida pode acrescentar alguns minutos ao final de cada tempo, devido ao jogo ter ficado parado por contusões ou substituições.

Acréscimos


 Como o tempo de jogo é contínuo, ou seja, não pára devido às saídas de bola, faltas, gols e outros acontecimentos que possam parar o jogo, o juiz pode acrescentar alguns minutos a mais a cada final de um tempo. Este acréscimo serve para compensar situações específicas, como contusões, substituições, etc. O tempo de acréscimo é definido pelo árbitro e sinalizado pelo quarto árbitro através de uma placa eletrônica. Durante os acréscimos - caso julgar necessário - o árbitro pode acrescentar mais 1 minuto, também sinalizado através da placa eletrônica. Dificilmente ultrapassa três ou quatro minutos.

Tempo extra


 Em algumas competições, se a partida terminar empatada, é concedido dois tempos extras de 15 minutos cada um, denominados prorrogação. Se o jogo continuar empatado, mesmo após o tempo extra, é levada para uma decisão de pênaltis.

Faltas e conduta anti-desportiva


 Uma falta se dá quando um jogador comete uma das ações listadas na Regra 12, entre as quais incluem pontapés sobre o adversário, rasteiras, puxões nos testiculos, empurrões entre outras agressões. O árbitro marca a falta e o jogador que sofreu a infração deverá cobrá-la no local onde ocorreu. Esta cobrança pode ser feita por tiro livre direto ou tiro livre indireto, dependendo da natureza da infração.
 Nos tiros livres diretos, o jogador pode chutar a bola diretamente para o gol e nos indiretos, ele tem que tocar para outro jogador.
Ainda há uma falta especial, o pênalti (penalidade máxima). Ele ocorre quando uma falta é cometida dentro da área penal. Nesse caso a bola é colocada no ponto penal, e os dois times (com exceção do cobrador e do goleiro que irá defender a cobrança) devem ficar fora da linha da área penal, só podendo entrar nela quando a cobrança for feita. O goleiro deverá ficar na sua linha de meta, só podendo se deslocar para os lados, nunca para a frente. Qualquer contravenção a essas regras será punida com a repetição da cobrança.
 Faltas mais violentas, que de acordo com a regra sejam típicas de uma conduta antidesportiva, são punidas com um cartão amarelo. Se o jogador receber dois cartões amarelos na mesma partida, será expulso de campo, sendo-lhe apresentado o cartão vermelho.
 O cartão vermelho é também usado em casos de faltas extremas, quando expulsa automaticamente o jogador do jogo.

Vantagem


 No caso de uma falta ter sido cometida mas na continuação da jogada a bola continuar com a posse do time que sofreu a falta o árbitro pode optar vantagem, ou seja, não parar o jogo para marcar a falta, pois, parando o jogo nessa situação, beneficiará o infrator.

Impedimento

 O impedimento é uma regra para impedir a chamada banheira (gíria do futebol para os jogadores que ficam só dentro da área penal adversária esperando pela bola). Ela caracteriza-se quando um jogador que poderia receber um passe, no momento em que este é executado, não tem entre si e a linha de fundo adversária pelo menos dois jogadores do outro time.
 Quando um jogador não está em posição de impedimento, diz-se que há jogadores adversários dando condições a ele. Os jogadores "que dão condições" ao atacante podem ser um goleiro e um jogador de linha ou dois jogadores de linha. As exceções a regra do impedimento são unicamente os casos de lançamentos diretos de tiros de meta, arremessos laterais, escanteio; e situações específicas: quando o jogador a receber o passe encontra-se no campo de defesa ou quando está atrás da linha da bola.

Tecnologia


 As inovações tecnológicas vem cada vez mais interferindo nas partidas. Muitas vezes, é possível perceber imprecisões nas decisões do árbitro. A televisão, e os recursos de alta resolução de vídeo demonstram para o telespectador todas as nuances de uma partida em tempo real. Assim é possível visualizar diversos ângulos de uma jogada, que muitas vezes a equipe de arbitragem, os jogadores, e os torcedores em campo não poderiam ver.
 Recentemente na Copa do Mundo de 2006, na Alemanha foram dispostos telões de grandes dimensões nos estádios. As imagens televisivas permitem à torcida rever detalhes ampliados das jogadas. Porém, os lances polêmicos não são mostrados em replays nos telões dos estádios. Também, os árbitros estão usando um discreto sistema rádio-comunicador durante a jogo que permite a troca de informações entre a equipe de arbitragem.
 Outro aspecto importante no esporte e por conseguinte no futebol vem sendo o emprego de tecnologia para a análise dos jogos através da utilização de scouts. O antes utilizado scout com papel e caneta já vem sendo substituído pelo emprego de sistemas computadorizados que são capazes até de fornecer dados em tempo real para técnicos, imprensa e torcedores. Exemplo disso pode ser observado aqui, onde os jogos da copa do mundo estão todos análisados a partir do viés da análise tática e quantitativa dos jogos.

Futebol nos jogos olímpicos

O futebol foi o segundo esporte coletivo a entrar oficialmente nos Jogos Olímpicos, atrás apenas do pólo aquático, em 1908. Já foi considerado um "campeonato mundial" até a realização da primeira Copa do Mundo em 1930. Após a realização da mesma, passou a ser disputado por seleções amadoras - com vantagem para os socialistas do Leste Europeu, já que os jogadores nesses países não eram, em teoria, profissionais — e assim enviavam aos Jogos Olímpicos suas seleções principais (o que ficou conhecido por "amadorismo de fachada"), ao passo que os países ocidentais eram forçados a mandar equipes amadoras ou de juniores.

Assim sendo, entre 1952 e 1980, os países do Leste Europeu ganharam todas as medalhas de ouro - enquanto seleções mais tradicionais ficavam para trás ou sequer classificavam-se. Nesse período, o futebol nunca foi considerado uma das principais atrações nas Olimpíadas.
Em 1984 e 1988, a FIFA abrandou as regras de "amadorismo", e autorizou a presença de profissionais que não tivessem disputado Copas do Mundo - permitindo à França, Brasil e Alemanha Ocidental ganharem suas primeiras medalhas (vale lembrar que, no caso alemão, a Alemanha Oriental já havia conquistado o ouro nos Jogos de Montreal).
Em 1992, foi criada a "seleção sub-23" só com atletas de até 23 anos (em 1996, tornou-se permitido levar 3 atletas acima dessa idade).
É o torneio mundial mais imprevisível, com medalhas vencidas por países como Japão (bronze em 1968), Gana (bronze em 1992), Nigéria e Camarões (ouro em 1996 e 2000, respectivamente).
Em 1996 o torneio feminino também foi introduzido nos Jogos Olímpicos.

Curiosidades


- O Brasil e a Alemanha, duas das maiores potências do futebol mundial que juntas possuem oito títulos mundiais, jamais foram campeãs olímpicas de futebol.
- O Uruguai teve a honra de ser escolhida para primeira sede da Copa do Mundo em 1930, por ser o bicampeão olimpico de futebol, em 1924 e 1928.
- A Grã-Bretanha, mais precisamente a Inglaterra, apesar de bicampeã olímpica em 1908 e 1912, recusou-se a participar da FIFA e da Copa do Mundo até 1950. E assim mesmo, só concordou em participar porque conseguiu arrancar da direção da FIFA o direito de disputar a Copa com os times nacionais de cada uma das regiões que formam o Reino Unido da Grã-Bretanha: a Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte, e assim permanece até hoje. Com isso a Grã-Bretanha não pode mais disputar os Jogos Olímpicos por não ter uma equipe de futebol unificada (apenas o Reino Unido da Grã-Bretanha possui comitê olímpico nacional filiado ao COI e pode disputar as Olimpíadas).
- O gol olímpico tem este nome por ter sido marcado um gol direto da cobrança de escanteio por um jogador uruguaio nos Jogos de 1928.

Copa do Mundo

 A Copa do Mundo é o segundo maior evento do mundo (o primeiro são os jogos olímpicos) onde participam 32 seleções, classificadas a partir de eliminatórias de seus continentes.
 Só treze seleções participaram da primeira Copa, sete da América Latina (Uruguai, Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Peru), quatro da Europa (Bélgica, França, Jugoslávia e Roménia) e duas da América do Norte (México e EUA) Muitas seleções européias desistiram da competição devido à longa e cansativa viagem pelo Oceano Atlântico.
 As duas primeiras partidas da Copa ocorreram simultaneamente, sendo vencidas pela França e EUA, que venceram a México por 4 a 1 e a Bélgica por 3 a 0, respectivamente. O primeiro gol em Copas do Mundo foi marcado pelo jogador francês Lucien Laurent. A final foi entre o Uruguai e a Argentina, tendo os uruguaios vencido o jogo por 4 a 2, no Estádio Centenário, em Montevidéu, com um público estimado de 93 mil espectadores. O artilheiro deste torneio foi o argentino Guillermo Stábile.
 Desde então, a copa foi disputada mais 17 vezes, sendo que a seleção brasileira é a única que participou de todas e a que ganhou 5 copas, além de ser a única seleção a ganhar uma copa fora de seu continente e não ter ganho uma copa em casa.
 Há também a copa feminina, que já teve 5 edições, onde o Brasil participou de todas, mas só conseguiu o vice-campeonato em 2007, talvez reflexo do pouco apoio ao futebol feminino brasileiro.

Copa das Confederações

 É uma copa disputada por campeões continentais e pelo atual campeão mundial, disputado a cada 4 anos. Nos últimos tempos, têm servido de teste para países que organizarão as futuras copas do mundo, onde têm vaga assegurada. O Brasil é o maior vencedor, com 3 conquistas, e disputou seis das oito edições (sendo que nas duas primeiras, a copa tinha o nome de Rei Fahd, não era organizada pela FIFA e não tinha todos os campeões continetais). A França vem em seguida, com 2 copas. A próxima Copa das Confederações será realizada no Brasil em 2013.

Futebol de Cinco

 O Futebol de cinco, conhecido também como futebol de cegos, ou Futsal de Cegos, é uma adaptação do futsal para pessoas cegas. O esporte, organizado pela IBSA - International Blind Sports Federation, é jogado com regras modificadas da fifa, com bandas laterais, os times tem 4 jogadores de linha cegos, e o goleiro que enxerga normalmente (ele joga numa área reduzida, de 5mX2m. Os times usam também um chamador, que é um membro do time que fica atrás da meta adversária, orientando os jogadores de ataque. A bola possui guizos que produzem sons, através dos quais os atletas podem encontrar a bola. As partidas oficiais tem dois tempos de 25 minutos, com 10 minutos de intervalo.

 O Futebol de Cinco é também chamado de Futebol B1, pois apenas atletas pertencentes a classe B1 das regras da IBSA podem participar dele.

B1 - Totalmente cego ou incapaz de perceber a forma de uma mão.


B2 - Possui visão parcial, capaz de reconhecer a forma de uma mão e possuidor de acuidade visual de até 2/60 ou campo visual menor que 5 graus.

B3 - Visão parcial, acuidade visual entre 2/60 e 6/60 e campo visual entre 5 e 20 graus

No Brasil já existe uma seleção brasileira de futebol de cinco, que conquistou a medalha de ouro nos Jogos Paraolímpicos de Atenas, e recentemente, o bicampeonato nos Jogos Paraolímpicos de Pequim

Futebol de sete


O Futebol de Sete é uma modalidade futebolística que se disputa nos jogos Paraolímpicos no qual participam atletas com paralisia cerebral. O regulamento apresenta algumas variações no que diz respeito as normas da FIFA. Cada equipa ou equipe é composta por 7 jogadores, as dimensões do campo são de 75 por 55m com traves de 5 por 2m e a marca de penalti situada a 9,20 m. A duração da partida é de 60 minutos dividido em dois tempos de 30 minutos com intervalo de 10 min.

Esta postagem é provisória e seu conteúdo vai ser expandido em breve

Um comentário:

Betinho Cerri disse...

Cara, uma dica!
ninguem gosta de ler um post gigante tipo este!
diminui o tamanho champs!
Abrço

Futebol é D+!
Palmeiras Campeão Brasileiro 2009

Postar um comentário